Ansiedade da separação

26/11/2018 - Dra. Marcela Noronha


Você sabia que para o bebê qualquer objeto ou pessoa que saia do seu campo visual é como se deixasse de existir?

Por volta de 8 meses de idade (alguns bebês precoces com 4 meses), o bebê começa a entender que seus pais sempre existiram e não gostam de se separar deles. O mesmo ocorre quando um brinquedo é retirado das suas mãos, gerando frustração e consequentemente choro. Nesses momentos inicia-se a ansiedade da separação, que tem o seu pico entre 10 e 18 meses de idade.

A ansiedade da separação só melhora quando o bebê entende que seus pais irão voltar e que os brinquedos podem ser recuperados. Esse entendimento varia de acordo com o temperamento e desenvolvimento de cada bebê e, em geral, ocorre por volta dos 2 anos de idade.

Algumas medidas podem ser adotadas para superar essa fase, como:

  1. Resista a tentação de sair escondido. Sempre dê tchau para o bebê e explique que você retornará em breve. Mesmo que isso gere lagrimas no início, ele confiará em você quando retornar. “Sumir” sem avisar gera insegurança e vai piorar a ansiedade da separação.
  2. Não faça da hora da despedida um drama. Mantenha um clima tranquilo e agradável e tente controlar a sua ansiedade.
  3. Aposte em brincadeiras de esconde-esconde, como “peek-a-boo”, para o bebê entender que você vai retornar e ir se acostumando a essas situações.
  4. Se o seu bebê engatinhar ou andar para longe de onde você está, dê um tempo antes de sair atrás dele, pois isso o ajudará a compreender que se afastar um pouco não tem problema.
  5. Opte por deixar o seu bebê sempre com alguém que ele já está acostumado e tem algum vínculo. Isso o ajudará a se sentir seguro e confortado.
  6. Esteja presente em momentos de adaptações, como o início a escola ou uma nova babá, até que o bebê se mostre confortável.
  7. Se o seu bebê tem um objeto de transição como um paninho, bicho de pelúcia ou qualquer outro, poderá ajudá-lo a sentir-se seguro, por isso mantenha o objeto junto a ele.

cadastre-se

receba nossos conteúdos por e-mail.

veja também

Cantinho do castigo ou da tranquilidade?

saiba mais

Pode ou não pode beijar os filhos na boca?

saiba mais

Elogios: será que sempre são bons?

saiba mais

Rotina: descubra todos os benefícios

saiba mais

Por que é tão importante confiar nas nossas crianças?

saiba mais

Jantar em família: conheça todos os benefícios

saiba mais

©2020 - Dra. Marcela Noronha - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por